Becca diz ser grande fã de Divergente ao The Reading Room

fefe

A saga Hush, Hush de Becca Fitzpatrick, incluindo Sussurro; Crescendo; Silêncio; e Finale, toda estreou como best-seller do New York Times. Seu próximo livro, Black Ice, é um thriller romântico eletrizante com o cenário traiçoeiro das montanhas de Wyoming e estará disponível em outubro.

Becca, parabéns por Black Ice. Você tem vários livros em seu currículo agora. Você ainda sente a mesma ansiedade agora como quando você começou [o livro]?

O mesmo murmúrio de excitação, a mesma antecipação nervosa e a mesma descrença e gratidão por eu estar fazendo algo que eu amo. De algum modo, agora que eu sei o que esperar, os sentimentos estão intensificados. Felizmente, a cada novo livro, eu me sinto melhor preparada para lidar com os altos e baixos. Não importa o que aconteça, no final do dia, eu escrevi um livro, eu coloquei meu coração nele, e isso é algo para se sentir bem.

 

Eu li on-line o seu marido matriculou-a em um curso de escrita para o seu aniversário de 24 anos? Quão importante isso foi para o seu desenvolvimento como uma escritora? Você teria persistido com a escrita se você não tivesse feitos essas aulas?

O curso de escrita me forçou a colocar as idéias da minha cabeça em um papel e compartilhá-las com outras pessoas. Foi o que me fez parar de sonhar histórias, realmente escrevê-las, terminá-las. Após a conclusão do curso, vários alunos e eu formamos um grupo de crítica e continuamos a compartilhar o nosso trabalho com o outro. Nós também dividimos a empolgação de enviar cartas para editora, e a decepção que vem com a rejeição. Se eu não tivesse feito esse curso, eu provavelmente ainda estaria presa na fase de sonhar. Em contrapartida, na época, eu fiquei chateada porque meu marido tinha me matriculado na aula de escrita – eu pedi especificamente por aulas de culinária japonesa!

 

Ter que escrever, ou contar histórias, sempre foi uma parte importante da sua vida? Ou essa paixão desabrochou mais tarde?

Mesmo antes que eu pudesse ler, eu gostava de contar histórias. Quando eu era pequena, e meus pais me perguntavam sobre o meu dia na mesa de jantar, gostava de embelezar a verdade. Se era pega, eu explicava que eu só estava tentando fazer a verdade mais interessante! No meio do jardim de infância, minha família se mudou e eu tive que ir a uma nova escola. Minha irmã e eu odiávamos a escola. À noite, eu gostava de contá-la histórias que chamei de “School Bus Adventures”, onde as crianças que estudavam com a gente ficaram presas dentro do ônibus escolar, uma vez que caiu de cima de um penhasco. Mórbido, sim, mas essas histórias nos fizeram sentir melhor, quase como se tivesse algum controle sobre nossas circunstâncias. Quando fiquei mais velha, escrevei peças de teatro para a escola e realizamos audições no recesso. No ensino médio, comecei várias histórias, mas sempre desistia depois de dez ou mais páginas. No entanto, eu era muito dedicada a escrever no meu diário. Eu raramente perdia uma noite. Ainda tenho uma caixa no meu porão cheio de volumes de revistas de minha adolescência.

 

Você já mencionado anteriormente “Speak” de Laurie Halse Anderson como um romance que impactou significativamente a sua escrita. Você poderia por favor descrever por que você valoriza tanto esse livro?

Quando eu comecei a aula de escrita mencionado acima, meu professor me disse: “Você não pode escrever livros para adolescentes, se você não está lendo livros para adolescentes.” Então eu fui à livraria. Peguei Speak e o li em uma noite. Lembro-me de pensar que, se todos os livros YA fossem tão poderosos e genuínos como Speak, eu nunca seria capaz de ter o suficiente deles.

 

Além Speak, que outros romances, ou que outros autores tiveram a maior influência sobre a sua escrita?

Livros: Nancy Drew, Trixie Belden, e Wuthering Heights.

Autores: Mary Stewart, Victoria Holt, e Sandra Brown.

 

Existem quatro livros da saga Hush, Hush, mas eu sei que inicialmente foi concebido como um livro único quando o seu agente comprou. Isso sugere que você não tem todo o enredo delineado antes de você começar a escrever? Ou você tem, e ele só o evoluiu no processo?

Você está certo, eu não tenho a série planejada. Depois de terminar Finale, prometi a mim mesma que nunca iria escrever outra série sem ter todos os livros traçadas de antemão. Adoro ler sagas… Eu só não amo escrevê-las, ha! E é provavelmente por isso que Black Ice e Sapphire Skies (lançado em 2015) são livros únicos.

 

O gênero YA tem ficado cada vez mais sofisticado, abrangendo uma vasta gama de assuntos, mas você nunca o achou restritivo? Com isto quero dizer, há um romance mais escuro, “mais adulto” surgindo dentro de você, ou o YA permite-lhe explorar os temas que você quer?

Eu não acho o gênero YA restritivo; de algum modo, acho que meus próprios medos e dúvidas são o que me censuram. O que eu amei sobre escrever Sussurro foi o desconhecimento da êxtase dos comentários e críticas que estavam por vir. Eu estou tentando encontrar meu caminho de volta para aquele lugar onde não me preocupo com o que as pessoas vão dizer ou pensar, mas é difícil conseguir aquela inocência de volta, sabe? Estou muito consciente de que eu estou escrevendo para uma audiência.

 

Black Ice é o seu primeiro romance depois da saga Hush, Hush. Havia alguma coisa em particular que você queria alcançar com ele, além de fornecer aos seus leitores outra história estrondosa?

Eu não estava pensando conscientemente sobre a realizar ou provar qualquer coisa (exceto, talvez, para provar a mim mesma que eu poderia escrever algo fora do mundo de Hush, Hush). Eu estava seguindo meus instintos e escrevendo a história que sentia ser a mais importante para mim naquele momento. Eu nem estava ciente de que eu estava mudando de gênero. Na verdade, havia fantasmas nos primeiros rascunhos de Black Ice, levando-me a acreditar que eu ainda estava escrevendo um romance paranormal. Durante o processo de edição, os fantasmas foram cortados e os aspectos penais e psicológicos tomaram o centro do palco. Como o fato de que eu estava mudando de gênero foi pouco óbvio, definitivamente isso fez o salto parecer menos intimidante.

 

Eu amo a primeira linha do primeiro capítulo de Black Ice: “Se eu morresse, não seria de hipotermia.” O que você acha que precisa ter na primeira página de um romance para fazer um livro de sucesso?

Eu tento incluir um pouco de mistério na primeira página, algo secreto tecido nas linhas que os leitores podem não perceber de primeira, mas se eles voltam, eles têm um momento ah-ha! e percebem que havia uma pista escondida lá o tempo todo.

 

Você ainda é capaz de ler romances apesar de ser envolvida com sua própria escrita? Se for, o que você está lendo agora?

Eu estou lendo The Maze Runner de James Dashner. Meu filho de 11 anos de idade terminou a série, e insistiu por um tempo para mim ler os livros. Ele é muito orgulhoso do fato de que ele introduziu os livros não só à mim, mas para os amigos. Estão todos lendo-os agora. Mas, para responder sua pergunta, eu estou sempre lendo. Acho que é tedioso ler apenas o que estou escrevendo, especialmente os primeiros esboços, que não são muito bons!

 

Quando e onde você gosta de ler?

Tenho livros espalhados pela casa: na cozinha, para quando eu estou cozinhando o jantar; ao lado de minha cama; no carro, para quando eu estou esperando o treino de futebol americano do meu filho terminar; na minha bolsa. Eu ainda me pego comprando um shampoo diferente a cada mês, de modo que eu tenha algo novo para ler no chuveiro. Eu gosto de ler os rótulos da embalagem, aqueles que prometem um cabelo brilhante e solto. Isso me impede de ficar entediada. É estranho eu ter admitido isso?

 

Conte-nos sobre o seu livro favorito do ano – até agora, pelo menos.

Provavelmente Quatro de Veronica Roth. Eu sou uma grande fã de Divergente, e um grande fã do Four, e ter uma compreensão mais profunda do personagem foi muito gratificante.

 

Finalmente, Becca, o que vem a seguir? Você já está escrevendo seu próximo livro, ou você desfruta um pouco de pausa entre os projetos?

Eu estou trabalhando em Sapphire Skies, um YA suspense-romântico sobre uma garota que entra no programa federal de proteção à testemunha, depois de testemunhar um assassinato nas mãos de criminosos perigosos. Há muito suspense e, claro, o romance.

 

No final, Becca fez uma lista de livros com suas recomendações do gênero YA. Clique aqui para ver.

 

Via

Tradução e adaptação: HushHushers – Não reproduza sem os créditos!


« | »

Leave a comment